Alucinações pós prova 

Depois de uma prova de 44km (sobre a qual falarei brevemente)  chegada a hora de descanso.  Olhinhos fechados. Passo a noite a correr em trilhos ( como se não tivesse corrido já o suficiente)   O sonho de tão intenso que é obriga me a uma interrupção no sono para abastecimento na caixa de bolos que felizmente se encontrava no quarto. 
 

Anúncios

Segunda feira dos ais

Dou um passo e solto um “ai”, dou outro e sai mais um “aí”.
“Ais” que estranhamente vem acompanhados de um sorriso parvo que se mantém desde ontem.

Ontem foi dia de meia maratona,  aquela para a qual falhei todos os planos de treinos, e que só um milagre me levaria a conseguir chegar ao fim.

Surpresas das surpresas, esse milagre aconteceu.

A meio do tabuleiro da ponte não acreditava que pudesse ser possível conseguir fazer os 21km, aliás pensei para com os meu dorsal que nem os 7/8km da mini seria capaz de fazer a correr, quanto mais 21km… Foi nos primeiros 2km que fui vítima do psicológico, mas rapidamente entrei em piloto automático. Abrandei o passo quando achei preciso mas nunca, a não ser apenas para conseguir beber o copo de powerade, parei.

As dores começaram a aparecer a partir do km 10,  ora era uma dor no tendão, ora era uma bolha que eu sentia a formar se dentro do ténis ,  mas nada disso me fez parar. 
Aos 15km já ia orgulhosa de nós, e apesar de não irmos a grande velocidade os kms foram passando num instante. Chegamos aos 17km e lembrei me da última e única vez que os tínhamos feito (parque das nações – Algés) e da descarga que senti no final.
Ultrapassei essa barreira dos 17km em piloto automático , e cada vez mais orgulhosa de mim, aos 18km comecei a acreditar,já faltava muito pouco, não valia a pena parar agora. E eis que lá ao fundo ao virar à esquerda visualizo a meta. Nunca me tinha sentido tão feliz por visualizar uma meta. 
E com enorme orgulho, vaidade e felicidade cruzei juntamente com o Belelinho a meta .

E pela primeira vez senti merecer uma medalha!!

image

À um ano atrás apesar de me ter dedicado e esforçado a treinar para esta prova, não consegui ser feliz, este ano com pouca vontade e sem treino consegui o meu ajuste de contas!!
Pode parecer ridículo, mas vocês nem imaginam a minha felicidade por o ter conseguido.

O pior que pode acontecer a um corredor.

Qual será a pior coisa que pode acontecer a um corredor, seja ele profissional ou não??

Preguiça, falta de vontade, falta de ar, dificuldades em respirar, dor de burro, cólicas, dores musculares, lesões.
A Chuva que impede de sair à rua ou que aparece sem ser convidada a meio do treino.
Uma poça de água pisada que deixa o ténis (ou sapatilha, se preferirem) encharcado.
Um dos atacadores que se resolve soltar a meio do treino,  no preciso momento em que estávamos com a pica toda.
O vento forte que vem em sentido contrário.
O senhor que deve ter o triplo da nossa idade e que nos ultrapassa.
Entre muitas outras situações.

Mas nada se compara a este momento..

image

O momento em que ficamos sem bateria no relógio a meio de um treino.

Quase se perde a vontade de continuar.

A culpa é da maldita tecnologia que nos habituou mal, e nos leva a entrar em paranóia, complicando coisas que deviam ser simples.

As vantagens de …

despachar o treino logo pela manhã ,antes do trabalho-ainda antes de o sol se levantar – para além das outra  vantagens que já referi aqui ao irmos correr de manhã não vamos abrandar o passo nem mesmo parar, porque o tempo é à justa para os km a fazer + Banho + pequeno almoço.

Porque chegar tarde ao trabalho e utilizar o facto de ter ido correr como desculpa certamente não irá resultar.

Fonte: imagens google

Confesso…

… que ontem não me apetecia nada ir correr.

Os motivos eram mais que muitos.
Com poucas horas de sono, tive de acordar cedo para trabalhar.
Fiz horas extra no trabalho de forma imprevista .
Cheguei já tarde a casa, com coisas para arrumar, jantar para fazer… E o sofá a chamar me para perto dele.
Tinha boas deculpas, e pouca vontade de calçar os ténis, sair de casa e gastar 1h do pouco tempo que me restava a correr.

Mas eu gosto de ser teimosa, e é neste dias cheios de imprevistos que descubro que posso ser forte – ou apenas insânia – , até podia não cumprir a distancia ou a velocidade proposta para o treino, mas bolas, ia tentar.

E lá fui, não vou dizer que me senti maravilhosamente bem, porque não é verdade, estava cansada, o meu corpo queria descanso, do 2km ao 4km chamei-me vários nomes – curiosamente foi uma das vezes em que não me cheguei a questionar o porquê de estar a fazer aquilo – mas no final senti-me satisfeita. Para além de cumprir com o proposto, o treino acabou por ser produtivo, e desconfio que ainda me fez uma recarga de bateria que me permitiu ainda ficar por uns tempos acordada.

Uma dica importante que constatei durante este treino:

Se quiserem um pouco de motivação pelo caminho, usem uma t-shirt do Benfica durante o treino. Vão ter muitos apoiantes a incentivar-vos pelo caminho.

image

A procura de motivação

Em março fiz a minha primeira meia maratona.Treinei afincadamente durante 3 meses, sem falhar um único treino do plano.
Mas…. !
Infelizmente, no grande dia não consegui fazer jus a todo o treino feito.
Prometi vingar me.
Passado uns meses o belelinho sabendo da minha frustração de não te tido uma boa primeira meia maratona, diz-me que talvez arranje dorsais para a meia maratona da rock and roll Lisboa com data para Outubro .

Entretanto, vieram as férias, a queda que me fez ficar parada duas semanas. Todo esse tempo sem correr deixou me sem ritmo,e apesar de já ter tentado iniciar um plano de treino para a meia maratona acabei por fazer apenas alguns dos treinos propostos, acabando por me baldar aos outros.

Confesso, nunca fui grande atleta, principalmente na corrida, e neste momento sinto me ainda mais em baixo de forma.
Mas quero encontrar a motivação que tive à alguns meses atrás.
Por isso fiz um novo plano de treinos, desta vez com a app da Nike, que iniciei à pouco mais de uma semana . E até agora tenho cumprido o plano, às vezes com muito custo, por vezes com falta de vontade, e quase sempre de rastos depois de um dia de trabalho.
Até agora, passados 13 dias que iniciei o plano, somo 41.85km em 7treinos de corrida.

image

Mesmo não tendo a certeza se dia 18 de Outubro tenho o dorsal para participar na prova, vou continuar a treinar – ou tentar – para os 21km, até porque, para ser sincera, a parte mais interessante de tudo isto não é a corrida final, mas todo o percurso até lá. Os momentos em que percebermos que somos mais fortes do que pensávamos, que não é assim tão difícil acordar às 6h da manhã, que os dias frios e de chuva até são bons para correr e que o nosso corpo cansado acaba por se sentir melhor após uma corrida.
E de repente, aquilo que parecia difícil torna-se alcançável!! Vemos que o esforço e dedicação nos levou à evolução.
Mas para isso é preciso lutar por isso, sem desistir às primeiras dificuldades.
Sofrer mas sobreviver.
Ninguém disse que era fácil.

Quilometragem semanal

A semana que passou foi uma semana no stop.. com Treinos de Segunda a Domingo, pelo que resolvi fazer um registo da minha quilometragem nos vários treinos que fiz.

Treinos matinais, antes do trabalho, para aproveitar bem o tempo.

Para variar os meus treinos, e depois de muitos meses sem dar umas braçadas, voltei à piscina. Fiz um treino com exercícios de cross fit pelo meio, uma aula de bike pelo meio, e as corridas (4) ficaram para o resto da semana.

image

image

Resumindo…

Foram…

1224 m a nadar

23.36 km A pedalar (indor)

25 km A correr

Num total de 49.584 km (fraquinho)