Segunda feira dos ais

Dou um passo e solto um “ai”, dou outro e sai mais um “aí”.
“Ais” que estranhamente vem acompanhados de um sorriso parvo que se mantém desde ontem.

Ontem foi dia de meia maratona,  aquela para a qual falhei todos os planos de treinos, e que só um milagre me levaria a conseguir chegar ao fim.

Surpresas das surpresas, esse milagre aconteceu.

A meio do tabuleiro da ponte não acreditava que pudesse ser possível conseguir fazer os 21km, aliás pensei para com os meu dorsal que nem os 7/8km da mini seria capaz de fazer a correr, quanto mais 21km… Foi nos primeiros 2km que fui vítima do psicológico, mas rapidamente entrei em piloto automático. Abrandei o passo quando achei preciso mas nunca, a não ser apenas para conseguir beber o copo de powerade, parei.

As dores começaram a aparecer a partir do km 10,  ora era uma dor no tendão, ora era uma bolha que eu sentia a formar se dentro do ténis ,  mas nada disso me fez parar. 
Aos 15km já ia orgulhosa de nós, e apesar de não irmos a grande velocidade os kms foram passando num instante. Chegamos aos 17km e lembrei me da última e única vez que os tínhamos feito (parque das nações – Algés) e da descarga que senti no final.
Ultrapassei essa barreira dos 17km em piloto automático , e cada vez mais orgulhosa de mim, aos 18km comecei a acreditar,já faltava muito pouco, não valia a pena parar agora. E eis que lá ao fundo ao virar à esquerda visualizo a meta. Nunca me tinha sentido tão feliz por visualizar uma meta. 
E com enorme orgulho, vaidade e felicidade cruzei juntamente com o Belelinho a meta .

E pela primeira vez senti merecer uma medalha!!

image

À um ano atrás apesar de me ter dedicado e esforçado a treinar para esta prova, não consegui ser feliz, este ano com pouca vontade e sem treino consegui o meu ajuste de contas!!
Pode parecer ridículo, mas vocês nem imaginam a minha felicidade por o ter conseguido.

Anúncios