Porque é que o sol nunca brilha quando eu vou de férias?!

“Tento, Juro que tento imaginar bom tempo, passo protector solar e estendo o corpo…”
Para comer!

 

Quem me manda a mim tirar férias em Abril, mês de águas mil, num ano que faz questão de cumprir com o ditado.
O passeio de férias tornou se gastronómico, e do Porto, em vez de “uma corzinha de verão “, voltei com 3kg a mais. 1kg por cada deliciosa francesinha consumida. 😀

Um grande obrigado…

.. A todos os que vão de férias este mês

Uma grande parte da população “tuga” já se pôs a caminho de terras algarvias, numa tradição que muitos cumprem religiosamente todos os anos, com especial foco no mês de Agosto.

Mas não desanimem os que não vão de férias agora. Trabalhar durante o mês de Agosto na capital não é assim tão mau. Para mim, é, talvez o mês que menos me custa trabalhar.

Para quem se desloca em veículo próprio, deixa de assistir a horas de ponta na segunda circular, assim como em outros pontos problemáticos da capital.
Para quem anda de transportes públicos, apesar de passarem com menos frequência , oferecem um lugar sentado em vez de um pequeno metro quadrado em pé partilhado com mais 4pessoas.

O que se traduz num percurso tranquilo e mais rápido sem prejuízo dos níveis de stress.

Também a maioria dos postos de trabalho se tornam mais calmos por estes dias, com menos trabalho e menos gente “a chatear” .

E como os dias ainda são grandes e quentes (espera-se que sejam) quem sai do trabalho ainda consegue (se quiser) ir dar um mergulho na praia mesmo aqui ao lado. Porque não é preciso estar de férias para se aproveitar os pequenos prazeres da vida.

E é por isso que agradeço a todos os que neste mês abandonam a capital para irem de férias, deixando um sitio menos agitado para os que cá ficam.

Obrigado! 😀

Boas viagens e Boas férias!! (mesmo que não seja no Algarve)

Retratos de férias_ #3 Cruzeiro ambiental

Aproveitamos a passagem por miranda do douro para fazer um cruzeiro pelo maravilhoso leito do rio douro que separa Portugal de Espanha, com uma paisagem maravilhosa porporcionada pela beleza do rio que se desloca pelo meio de arribas.

image

image

O cruzeiro têm a duração de 1 hora, com percurso de ida e volta. Na ida permanecemos no espaço interior, onde nos é transmitida a parte didactica deste cruzeiro, e na volta é nos permitido ir no espaço exterior para melhor aproveitarmos a vista .
image

A chuva ainda ameaçou, mas lá conseguimos que se fizessem uns raios de sol .
E com o tempo a melhorar, conseguimos desembarcar, com direito a uma prova de mel.

 

image

Nas arribas é possivel ver o nº 2, criado pela natureza, diz a lenda que quem não o consegue ver ficará solteiro, e no caso de ser casado anda a ser enganado.
conseguem ver?
image

Á chegada tivemos uma prova de vinho do Porto , branco e tinto – ambos muito bons.

 

image

Foi nos depois solicitado que nos assentassemos no muro junto à piscina, para podermos assistir a um espetaculo de aves de rapina. No qual consegui participar como voluntaria a suportar no meu braço uma maravilhosa coruja das torres.

Infelizmente a maquina ficou sem bateria nesse momento, e o belinho só conseguiu captar esse momento com o telemóvel. Mas foi uma experiencia magnifica.

image

Tenho uma unica critica em relação a este cruzeiro maravilhoso. A maioria dos participantes que nos acompanhou eram espanhois, – na realidade eu e o Belelinho eramos os unicos portugueses – E devido a esse facto, praticamente toda a explicação paisagistica e ambiental foi feita em espanhol.

 

Localização: Estação Biológica Internacional de Miranda

Preço por pessoa: 16,00 Eur (desconto 10%cartão jovem) Atenção que não têm multibanco
Partidas regulares: Todos os dias às 16h00. Em Agosto: todos os dias às 11h00 e 16h00

Site com mais informações : http://www.douronet.pt/default.asp?id=117&mnu=117

Retratos de férias – #2 Zamora

Estando tão perto de Espanha, aproveitámos para dar um saltinho pela terra de nossos hermanos, em Zamora.
image


Onde temos uma maravilhosa paisagem criada com a ajuda do belo rio douro .

image

Na zona histórica não se via ninguém para além de um ou outro casal, com aparência de turista. Sendo que a nossa visita foi feita depois de almoço.
Parecia que estávamos numa cidade fantasma, monumentos fechados assim como lojas,  com indicação de reabertura a partir das 16h.
Pois é, nossos hermanos são muito adeptos da soneca pós almoço.
E já faltava pouco para as 16h quando começamos a ouvir barulho e ver pessoas nas ruas, em poucos minutos as ruas vazias encheram se de gente.

image

image

image

image

Retratos de férias

image

8 dias
7 noites
Mais de 1072 km percorridos
Tempo cinzento e de chuva, com algumas abertas a possibilitar uns passeios agradáveis.
Novos locais.
Paisagens maravilhosas.
Centenas de fotografias. 
Algumas quedas.
Boa companhia.
Pessoas simpáticas.
Gastronomia provada com fartura.
Uns quilinhos a mais.

Mais pormenores brevemente.