Se me saisse o euromilhoes….

Esta BMW faria certamente parte da colecção.

Anúncios

Sem ressentimentos

O belelinho foi convocado a vir comigo ao Lisboa art&moto, infelizmente parece que já estava convocado para assistir a um jogo de hóquei que deve durar o dia todo , fazendo com que eu seja automaticamente posta de lado , pelo que, ou vou sozinha ou tento arranjar  outra companhia.

Sem ressentimentos amor, não fiques preocupado, ei de encontrar companhia, nem que seja por lá…

 

.a5899042c423cd2fa61c929d547615d2largedc4e33d7957192ca45096fac2043140ea37e941aefe5949aab60d3664c778cad

Nao estava planeado

16H e eu a sair do trabalho.

Enquanto esperava a mota aquecer dou conta da aproximação de um autocarro cheio de gente e com música, autocarro esse seguido por uma boa centena de motas.

Fui persuadida, quer pelas gentes do autocarro quer pelos motociclistas/Motards que vinham atrás, a juntar-me a eles. Dei por mim a pensar “E porque não?!” ,  e mesmo sem saber muito bem para onde iam a eles me juntei. E lá segui eu e a minha menina em marcha lenta acompanhada por um belo som ambiente até à praça do comércio.

 

cam05452.jpg

image

Uma concentração promovida pelo Clube Motard de Lisboa em parceria com o Rock in Rio Lisboa, com o objetivo de contagiar a cidade com o espírito rockeiro, numa antecipação do encontro motard agendado para o dia 27 de Maio na Cidade do Rock.

Um assunto muito sério – Vestir bem para andar de mota

Os acidentes não acontecem só aos outros.  Podemos ser óptimos condutores, super cautelosos, conduzir à anos e nunca ter tido um acidente, mas não estamos imunes a que nos aconteça,  e pode até não ser por um erro nosso.

Com as temperaturas a subir são muitas as pessoas que vejo a conduzirem, ou à pendura, de motas vestidas com t-shirts, calções, chinelos, sandálias. Também o faço às vezes, inconscientemente, porque a distância é curta ou porque está muito calor e não me apetece levar o casaco atrás.

Esquecemos-nos às vezes, inconsciente,  que de mota perdemos várias protecções que teríamos num carro. Não existe para-choque, cinto de segurança ou airbag. Na ausência desses elementos de segurança passiva temos/devíamos de nos preocupara em arranjar algo que nos proteja na infeliz possibilidade de irmos ao chão.

Fonte: imagens Google

A triste verdade é que os acidentes acontecem,  e podem acontecer a qualquer um.

Este fim de semana calhou me a mim,  estava à pendura com o Belelinho e fomos ao chão numa descida.  Felizmente eu levava casaco – apesar do calor que se fazia sentir – felizmente tinha me esquecido de trocar os ténis pelas sandálias que estavam na mala, pelo que me safei sem grandes arranhões – ao contrário do Belelinho que estava apenas de t-shirt e ficou um pouco mais marcado – apenas me magoei no ” traseiro” que foi onde absorvi o impacto da queda .

Deixo aqui também um relato de um acidente (em inglês) no blog Motolady sofrido pela autora Alicia, onde a mesma demonstra da pior forma a importância que têm andar com equipamento de protecção.

Os apelos são muitos, e cada vez que alguém cai vejo os apelos a repetirem-se, infelizmente poucos os levam a sério.

Apenas o uso de capacete é obrigatório , mas não se esqueçam do casaco (de preferência com protecções), das luvas, das calças ( já nem falo em usarem calças com protecção, mas pelo menos umas calças de ganga em vez dos calções) uns sapatos que vos protejam bem os pés (mesmo que vão à pendura).

Prefiram sentir o calor do verão à queimadura do Alcatrão.

Bichinho no capacete

Um dos motivos pelos  quais eu gosto de andar de mota, é da paz e da possibilidade que eu tenho de ficar a sós com os meus pensamentos.

O meu momento a sós. Eu a mota e a estrada ( e também algumas azelhas que aparecem pelo caminho)

E porque é que eu venho com esta conversa agora?!

Pois bem…o Belelinho lembrou-se à uns tempos de comprar um bichinho do género demonstrado na imagem em baixo. Que finalmente “instalou”. E pretende que eu instalo um bichinho nestes no meu belo capacete.

Fonte: Imagens Google

E o que é isto?!! Isto é algo que põem em risco o silencio que eu tenho nas minhas viagens de mota, para alem não ficar nada bem – na minha opinião – no capacete.

Este bichinho que permite a conversação entre o condutor e passageiro do motociclo, permite também falar ao telemóvel enquanto se conduz ou ouvir a voz sensual da senhora do GPS a dizer “daqui a um kilometro vire à direita ” ou até mesmo ouvir as notícias de trânsito pela rádio , tudo isto por via bluetooth.

Defendendo-me já, antes de ser acusada de ser insensível e anti-social:

Amor, eu nem vou entrar pelas radiações via Bluetooth a que ia sujeitar o meu sensível cérebro, mas tu bem sabes que eu já me distraio o suficiente com o meio que me envolve, paisagens e acontecimentos ao meu redor, um zumbido destes dentro da minha cabeça seria mais um factor de risco, desnecessário. Mas… desde já  me comprometo em utiliza-lo, provisoriamente, enquanto à pendura, mas apenas em longas viagens. @

 

Permissão para circular no corredor BUS – Srº António Costa ponha os olhos nisto

Em Janeiro deste ano entraram em vigor novas regras no código da estrada, entre elas a alteração do artigo 77.º

Artigo 77.º
Vias de trânsito reservadas

1 – Pode ser reservada a utilização de uma ou mais vias de trânsito ao trânsito de veículos de certas espécies ou a veículos afetos a determinados transportes, sendo proibida a sua utilização pelos condutores de quaisquer outros.

(..)

3 – Pode ser permitida em determinados casos a circulação nas vias referidas no n.º 1 por veículos de duas rodas, mediante deliberação da Câmara Municipal competente em razão do território.


O porto vai ser pioneiro nesta permissão e, a partir de 1 de Maio de 2014 os motociclos e ciclomotores vão poder circular (sem arriscarem apanhar multa) em corredores Bus no Porto. Numa fase inicial será permitido esta circulação, apenas, em 14 arterias do centro da cidade, mas prevê-se a permição para outras arterias caso os resultados sejam positivo.
 

“Esta medida poderá trazer vantagens em termos de redução do tempo de viagem, redução dos níveis de emissão de CO2, aumento de segurança para os motociclistas, incentivo à transferência modal do automóvel para o motociclo e, não menos importante, redução do tráfego automóvel”, conclui a autarquia.

Rui Moreira, Presidente da camera do porto.

Esta medida será acompanhada por um estudo da Universidade do Porto que irá avaliar todos os impactos positivos e negativos desta medida.

Srº António Costa, ponha os olhos nisto, dê alguma atenção tambem aos motociclistas da sua cidade e não só aos ciclistas.

Fonte:
Publico