2º Corrida Montepio

Fonte: Montepio

Domingo, 7h da manha ( 8H em comparação com o dia anterior – sendo que a alteração para o horário de inverno nos permitiu dormir mais 1H) , o alarme toca, e eu não quero sair da cama.

Tenho dores e a preguiça está instalada em todo o meu corpo.

Com muito esforço lá me levanto, tendo como motivo 10Km pela frente, por uma boa causa.Tomo o pequeno almoço do costume ao qual adiciono um ibrufeno.

Rumo  em direcção à praça do comercio, junto com o Belelinho, onde deixamos a “carga a mais” no bengaleiro lá  disponibilizados. Bagagem largada, e dai vamos até ao Rossio, onde está instalada a partida e, onde já se visualizam centenas de atletas a aquecer.Ainda damos umas voltas pelo local para tentar perceber onde se encontra a entrada para a linha de partida. Ate que, talvez a 20, 15mint da data marcada para a partida, começamos a ver a enorme massa de corredores a entrar por um pequeno espaço entre as grades, lá os seguimos e aguardamos pelo tiro de partida no nosso pequeno metro quadrado partilhado com mais corredores –  o habitual neste tipo de provas.

Inicio da prova a passo lento nos primeiros metros e onde somos invadidos por uma chuva de confetis.

Fonte : corridamontepio.pt

O calor começou-se a fazer sentir, e as náuseas começaram a aparecer. Fui me aguentando até ao primeiro abastecimento – aos 3Km –  tendo ai parado e colocado um pacote de açúcar que comigo levava na garrafa de água que me foi cedida.

A partir dai, e por muito que eu me tenta-se mentalizar de fazer um percurso continuo de corrida, pelo menos até chegar ao 2º Abastecimento – 7Km – fui alternando constantemente a corrida com a caminhada.

9Km, sinto a visão a ficar cada vez mais nublada, e as pernas seguem como em piloto automático, até que sinto a nauseá a chegar, encosto-me ao lado direito e paro, tento-me recompor e rapidamente um membro da organização desloca-se ao pé de mim para saber se está tudo bem, tento a muito custo dizer que sim e vou retomando lentamente o meu caminho com o belelinho.

A 100 metros da meta, ouço alguém gritar pelo meu nome, ” Bora lá.. Força..” – o que me faz sorrir e ganhar  um pouco de energia – e ao meu lado oiço o belelinho perguntar “Quem é??” ao que eu respondo ” Não sei”  .Esclareço, que aquele senhor simpático, que eu não conhecia – e ele a mim também não – , sabia o meu nome por o mesmo se encontrar no meu dorsal, e é sempre uma motivação extra ouvirmos o nosso nome.

Chegada a meta ao fim de 1h11m, e ainda sem perceber bem onde estava e para onde tinha de me dirigir a seguir, foi me rapidamente cedida – sem que eu precisasse solicitar – uma garrafa de agua por um membro da organização. 

No final, ficou a desilusão, de uma prova que deveria ter sido fácil, mas que me custou imenso,a incapacidade de fazer a prova sem sofrer,  que me fez soltar a frase ” Não Quero Correr Mais ” – Não enquanto não me sentir preparada para… Enquanto não conseguir treinar de forma a me preparar para participar numa corrida.

 

 

Lisboa Eco- Marathon 2014

Uma prova ecológica com o objectivo de angariação de fundos para instituições de solidariedade social e a divulgação dos espaços verdes da Cidade de Lisboa.

Já nos tínhamos inscrito há algum tempo, na prova do corredor verde, o desafio era duplo, a estreia em trilhos e também em distâncias para lá dos 10km. Mas era um desafio alcançável e ainda tínhamos algum tempo para nos preparar-mos e treinarmos para isso (coisa que na realidade não aconteceu).

 
Uma surpresa nesta prova – ainda antes do começo da mesma – foi a entrega dos dorsais e t-shirts em casa, por parte da nacex, um dos patrocinadores da prova.


 

 

A partida estava marcada para as 21h – ainda com sol embora tímido – no parque do calhau, mas era nos pedido que às 18h estivéssemos presentes para assistir ao brifing e à partida dos atletas da maratona.

CAM02951

Antes de iniciarmos a prova foi nos fornecidos dois suplementos.

Um pozinho e um gel que por mim foram consumidos durante a prova, sem que eu notasse grande efeito nos mesmos.

CAM02952

Esta foi a pior semana que eu poderia ter para enfrentar dois novos desafios – trilhos e distancias superiores a 10km- depois de uma maratona de 10 dias de trabalho, e já sem grande energia e vontade lá fui, tentando parecer motivada. As paragens foram muitas – principalmente nas subidas que até à andar me custavam imenso – para descontentamento do belelinho.

Para minha sorte, houve um erro de um elemento da organização que nos fez – a todos os participantes da prova dos 19 km – ter um atalho/desconto de 4km.

Cruzamos a meta ao fim de 15km e de 1:58:49.
Custou, muito, bastante, mas chegamos ao fim, onde tínhamos à nossa disposição, sandes, bolos, aguas e cerveja.

 

CAM02969

 

 

O cansaço que sentia nesse dia pouco me ajudou a desfrutar da prova em si, mas deu para eu sentir um gostinho por andar/correr em trilhos. Algo que espero repetir brevemente, mas com o corpo e a mente mais preparados para isso.

 

 

Scalabis night race

 Ao fim de uma semana a descrição da maravilhosa corrida de Santarém 


wpid-cam02447.jpg

 

< Em Santarém, terra onde nasci, Apertei os ténis para a segunda edição desta corrida que teve excelentes referências na primeira edição,. Tão boas que as inscrições para os 10km esgotaram num instante. Com a promessa de bifanas pampilho e vinho tinto,  lá fui eu. 

A corrida, realizada depois de o sol se por, leva uma mancha amarelo criada pelos atletas a percorrer as ruas históricas desta bela cidade,  com passagens pelas portas do sol (lindíssimo)  e pela escola prática de cavalaria – onde na madrugada de 25 de Abril de 1974, Salgueira Maia saiu com os seus homens . 

A cada km, marcado com um cartaz em cima de um fardo de palha, encontra-se também um cartaz motivacional. Um dos quais, colocado antes do abastecimento de um copinho de vinho,  dizia “quem não é bom de beber não é bom de correr”

Fonte : Facebook.Com/scalabisnightrace

Resultados App Sport tracker :

Kms percorridos: 10.28km 

Tempo: 01:04:34

Média : 06:11 min/km 

 

Resultados oficiais da prova:

Tempo aos 5km: 0:32:02

Tempo aos 10km : 1:04:55

Classificação geral : 1075/1259

Classificação escalão sénior Feminino : 167/238

Uma grande mulher

Hoje vou falar  de uma grande mulher Filipa Elvas, 

image

Esta senhora,  uma atleta amadora (que de amadora não têm nada ), Foi em maio deste ano a única mulher a terminar a maratona da grande muralha da china.  Voltou a surpreender nos este sábado mostrando nos que não existem impossíveis ao vencer no sector feminino a maratona Polar Circle na Gronelândia, onde a temperatura rondava os cerca de 10 graus negativos, tendo concluído a prova em  3:54.47 horas. 
Uma prova  com portugueses no topo do pódio, tendo o sector masculino sido vencido pelo  Manuel Machado que terminou a prova em 3:15.04 horas, estando também ele de parabéns.