Um resumo de Cracóvia

Fomos a Cracóvia

Ouvimos várias vezes a famosa melodia “hejnal” na praça do mercado mas nunca conseguimos ver o trompista que supostamente a toca, apesar de termos ficado durante todo o tempo da música a olhar feitos parvos para a torre da Basílica de Santa Maria à procura do trompista.

No antigo mercado de tecidos não encontrei tecidos, (eu já sabia, mas no fundo ainda restava alguma esperança em mim 😔) apenas “regalos ”

Não entramos na caverna do dragão, estava fechada (o dragão tira férias em Fevereiro 😅) , mas fomos surpreendidos com o fogo deitado pela boca da estátua do mesmo que julgávamos já não estar em funcionamento.

Foi em êxtase que fiquei ao observar os imperceptíveis flocos de neve que acabaram por se tornar perceptíveis e me surpreender com o seu formato perfeito de estrela. (foi a minha primeira vez..a ver nevar 😅)

Um comboio levou nos a Wieliczka, às minas de sal a cerca de 15km de Cracóvia. 800 degraus abaixo do solo ouvimos por parte do guia “the walls are made of salt, you can touch it, you can smell it, you can lick it, please do not lick the cables of electricity”

Em Auschwitz, encontrámos uma compatriota nossa que nos aconselhou a não entrarmos em determinados blocos por os mesmos serem demasiado pesados . Não seguimos o conselho, até porque nos acompanhava um guia. É importante perceber que as visitas a centros de concentração não são lúdicas, é algo que deve ser feito para que se possa ter conhecimento e consciência das atrocidades que lá ocorreram. Por muito que ouçamos falar, ‘a ficha’ só acaba por nos cair lá.

Fomos também à famosa fábrica de Schindler, onde acabamos por sair desapontos devido à expectativa que levávamos. Percebemos mais tarde que é algo que acontece frequentemente com os demais turistas e não apenas conosco.

Anúncios

Retratos de férias_ #3 Cruzeiro ambiental

Aproveitamos a passagem por miranda do douro para fazer um cruzeiro pelo maravilhoso leito do rio douro que separa Portugal de Espanha, com uma paisagem maravilhosa porporcionada pela beleza do rio que se desloca pelo meio de arribas.

image

image

O cruzeiro têm a duração de 1 hora, com percurso de ida e volta. Na ida permanecemos no espaço interior, onde nos é transmitida a parte didactica deste cruzeiro, e na volta é nos permitido ir no espaço exterior para melhor aproveitarmos a vista .
image

A chuva ainda ameaçou, mas lá conseguimos que se fizessem uns raios de sol .
E com o tempo a melhorar, conseguimos desembarcar, com direito a uma prova de mel.

 

image

Nas arribas é possivel ver o nº 2, criado pela natureza, diz a lenda que quem não o consegue ver ficará solteiro, e no caso de ser casado anda a ser enganado.
conseguem ver?
image

Á chegada tivemos uma prova de vinho do Porto , branco e tinto – ambos muito bons.

 

image

Foi nos depois solicitado que nos assentassemos no muro junto à piscina, para podermos assistir a um espetaculo de aves de rapina. No qual consegui participar como voluntaria a suportar no meu braço uma maravilhosa coruja das torres.

Infelizmente a maquina ficou sem bateria nesse momento, e o belinho só conseguiu captar esse momento com o telemóvel. Mas foi uma experiencia magnifica.

image

Tenho uma unica critica em relação a este cruzeiro maravilhoso. A maioria dos participantes que nos acompanhou eram espanhois, – na realidade eu e o Belelinho eramos os unicos portugueses – E devido a esse facto, praticamente toda a explicação paisagistica e ambiental foi feita em espanhol.

 

Localização: Estação Biológica Internacional de Miranda

Preço por pessoa: 16,00 Eur (desconto 10%cartão jovem) Atenção que não têm multibanco
Partidas regulares: Todos os dias às 16h00. Em Agosto: todos os dias às 11h00 e 16h00

Site com mais informações : http://www.douronet.pt/default.asp?id=117&mnu=117